ESPERANÇA

18 de Marco, 10h (São Paulo) 13h (Londres): Esperança

“o princípio da esperança é confiar em uma nova ordem social justa como horizonte a perseguir, como na visão de utopia de Eduardo Galeano, onde cada passo em direção a ela significa um passo à frente, sob o propósito fundamental de continuar caminhando (Galeano, 2013). A esperança é o princípio e a regra para alcançar uma visão crítica e uma busca permanente de mudança: ‘A obra de Freire representa a política comunicativa da esperança – a noção de que os seres humanos podem mudar a si mesmos e transformar as condições sociais para produzir uma sociedade mais justa’  (Waisbord, 2020). Desse modo, argumenta Waisbord (2020), a abordagem freiriana se torna uma fonte de resiliência democrática. Consequentemente, o oposto de assimetria não é simetria, mas é justiça e coexistência no sentido de abrir espaço para diferentes formas de ser e compreender.” (Suzina & Tufte, 2020, p.415, disponível aqui)

Benjamin Ferron, Université Paris 12 Créteil, França

Benjamin Ferron é um sociólogo francês, Doutor em Ciência Política e Professor de Comunicação Política na Université Paris-Est (Céditec EA3119). Ele ensina e realiza pesquisas em sociologia do jornalismo, mídias de movimentos sociais, comunicação para a mudança social, problemas públicos, teoria do campo de Bourdieu, e metodologia em ciências sociais. Seus trabalhos de campo incluem o movimento francês “Mídia Livre”, uma comparação internacional entre a rede transnacional de mediação zapatista e as mobilizações anti-ocupação (conflito israelense-palestino), a construção jornalística do problema da poluição do ar interior na França e a precariedade dos jornalistas “alternativos” franceses. Benjamin publica em francês, inglês e espanhol, e traduziu trabalhos de Rodney Benson e James C. Scott. Seus projetos atuais incluem o livro coletivo Giving Voice to the “Voiceless”? Construção social e discursiva de um problema público (com E. Née & C. Oger, 2021). Coordena desde 2017 a Rede “Media Sociology” da Associação Francesa de Sociologia (RT37).

Links e publicações.

Eriberto Gualinga Montalvo, cineasta indígena, Equador

Eriberto Gualinga Montalvo é diretor de documentários, fotografia e música em prol da defesa da Amazônia e dos direitos humanos. Há 20 anos trabalha com audiovisuais, suas obras participaram de diversos festivais pelo mundo, conquistando os prêmios Paco Urondo, National Geographicl, entre outros.

Moderador: Burçe Çelik, Lourghborough University London